Os indicadores financeiros ditam quanto seus investimentos vão render e qual será o caminho da economia no geral. Por isso você precisa entendê-los. Mas fique calmo… Apesar da palavra talvez assustar, os indicadores é um assunto bem simples de entender.

E fica mais fácil de entender quando você tem a consciência de que as variações dos seus investimentos estão ligadas a esses tais de indicadores.

Os indicadores influenciam os seus investimentos

Não quero ficar te cansando com muitos termos técnicos e quero ser o mais objetivo e prático possível. Saiba também, que os indicadores podem ser conhecidos como indexadores.

Então, me acompanhe neste artigo que vou te explicar o que são esses indicadores e quais são os principais utilizados na nossa economia e dia-a-dia.

O que são indicadores financeiros?

Vamos começar a simplificar as coisas, e em seguida vou falar quais os principais indexadores que vão influenciar nos seus investimentos.

Esses indicadores são os responsáveis pelas variações de taxa de juros na grande maioria dos financiamentos, empréstimos e investimentos. Além disso, alguns desses indicadores mostram outras características da economia, como inflação, por exemplo.

Agora, vamos ficar por dentro dos principais indicadores…

Taxa SELIC

Aqui não tem mistério, nem enrolação, vamos logo desvendar essa sigla. SELIC significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia.

Essa é a taxa que mais afeta a sua vida, e talvez você nem sabia disso.

Mas porque ela tem toda essa influência em sua vida?

Isso acontece pois essa é a taxa básica de juros da economia e a cada 45 dias essa taxa vira notícia no Brasil, ou seja, a cada 45 dias ela tem uma nova definição, seja por ter aumentado, diminuído ou permanecer estável.

Os indicadores influenciam os seus investimentos

Essa é a taxa que mais influencia todas as demais taxas de juros do Brasil, como por exemplo os juros cobrados em empréstimos, financiamentos e inclusive os seus investimentos.

Quem decide o valor da SELIC?

A cada 45 dias o Copom reúne os seus membros para definir se a taxa SELIC vai permanecer estável, aumentar ou diminuir.

Qual a principal função da SELIC?

Basicamente essa SELIC tem a principal função de controlar a inflação.

Sendo bem objetivo, vai funcionar assim;

  1. O Banco Central aumenta a SELIC para impedir o crescimento da inflação, mas os seus rendimentos da renda fixa vão aumentar.
  1. Quando o Banco Central resolve abaixar a SELIC, isso aquece a economia, mas os seus rendimentos também vão sofrer com isso. 

Existem muitos outros detalhes sobre a Taxa SELIC, esse é o conhecimento mais básico sobre ela. Se você quiser entender melhor como funciona toda essa lógica e porque o Banco Central muda essas taxas assim, clique aqui e acesse o artigo exclusivo que fiz sobre a SELIC.

CDI

Parece que cada vez as siglas vão complicando as coisas, mas o CDI é muito simples de entender e vou te mostrar com um exemplo.

Mas antes vamos desvendar essa sigla aí, vai ajudar muito na compreensão. CDI significa Certificado de Depósito Interbancário.

Os indicadores influenciam os seus investimentos

Na prática, o CDI vai estar intimamente ligado entre os empréstimos que os bancos fazem entre eles mesmos. 

E porque um banco resolve pegar dinheiro emprestado com outro banco? Isso acontece por que o Banco Central determinou que todos os bancos devem sempre fechar o cacha do dia no positivo… Mas nem sempre isso acontece.

Veja o que acontece na prática:

O Banco Alfa terminou fechou o dia no negativo totalizando R$ 5.000 negativo, ou seja, por causa da determinação do BC ele vai ter que fazer alguma coisa.

E logo ali do outro lado da rua o Banco Beta fechou o dia no positivo totalizando R$ 10.000, o que acontece nessa situação é que o Banco Alfa vai solicitar um empréstimo de R$5.000 ao Banco Beta.

Mas não é somente isso, desse empréstimo é que sai a taxa do CDI, que é os juros que o Banco Alfa vai pagar sobre o empréstimo de R$ 5.000.

Como isso influencia nos investimentos?

Provavelmente você já ouviu falar de investimentos ou aplicações bancárias que pagam 100% do CDI, certo?

O CDI é uma taxa muito utilizada como indexador de vários investimentos, com CDBs, LCIs, LCAs, LCs e muitos outros de renda fixa. Voce pode dar uma olhada também no nosso simulador de investimentos, lá fica bem claro qual é esse impacto.

Em terceiro lugar mais não menos importante vamos falar do “indicador” IPCA.

IPCA

O IPCA tem a função principal de medir a inflação de um determinado conjunto de produtos e serviços comercializado no varejo. Sua sigla significa Índice de Preços ao Consumidor.

Sabe quando você vai ao mercado e percebe aquela variação de preços nos produtos, pois é… é inflação que faz isso acontecer.

Os indicadores influenciam os seus investimentos

O IPCA é o indicador oficial que mede a inflação do país. A inflação é justamente o aumento generalizado dos preços dos produtos, diminuindo o poder de compra do consumidor.

É importante destacar que, por mais que seja incomum, pode existir IPCA negativo. Ou seja, a deflação dos preços. Nesse caso, os preços diminuíram ao invés de aumentar.

O IPCA é calculado mensalmente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e ele também é utilizado como indexador de investimentos, como é o caso de algumas modalidades do Tesouro Direto.

O nosso simulador de investimentos é atualizado diariamente com os indexadores utilizados, e o IPCA é um deles. Dá uma olhada aqui, e veja como o Tesouro Direto é influenciado por ele.

Indicadores atualizados

Os indicadores como SELIC, CDI e Poupança são atualizados a cada 40 dias, nas reuniões do COPOM.

Conclusão

Depois que aprendemos o que significa esse monte de sigla e qual o impacto delas no nosso dia a dia, resta saber como obter vantagens com esse conhecimento.

Você deve ter percebido que a maioria desses indicadores têm relação com a inflação do país. E a inflação tem relação direta com o preço dos produtos e também o poder de compra de cada pessoa.

Nem é preciso falar que deixar um montante de dinheiro guardado não vai te deixar mais rico, pelo contrário, pois o aumento da inflação diminui o valor real daquele montante. 

Sabendo disso, o que você pode fazer para que guarde dinheiro com sabedoria, ou seja, fazer investimentos para que aquele seu capital não “desvalorize” com a inflação?

É bem simples, escolha rendimentos que rendem, por exemplo a taxa SELIC + x% ou que rende o IPCA + x% (como é o caso de algumas modalidades do Tesouro Direto), fazendo isso, você se protege o seu capital das oscilações da inflação.

Também não esqueça de diversificar seus investimentos de acordo com o seu perfil, claro.

Você conhecia esses indicadores? Você usa algum outro que considera importante? Conta aí nos comentários.

Junte-se ao grupo VIP Informe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos com prioridade
100% livre de spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!