Dividendos e juros sobre capital próprio: o que são e suas diferenças

Sempre que surgem termos como dividendos e juros sobre capital próprio, muitos investidores ficam perdidos, sem saber o que exatamente é isso tudo.

Pensando nisso, aqui você vai entender exatamente a que cada um desses temas se refere, as diferenças e muitas outras informações valiosas para o seu bolso.

Não perca mais tempo, confira agora o que você precisa saber!

Simulador de investimentos

Entendendo os termos 

Para dar início a esse post, é interessante pensar o conceito de cada um desses assuntos. Afinal, para o investidor iniciante na renda variável esses conceitos podem ser confusos.

Logo, vamos a uma explicação direta e descomplicada:

O que são dividendos?

Em termos simples, dividendos são definidos como uma parte do lucro líquido de um negócio, que é dividido pelos acionistas.

Dessa maneira, se refere a distribuição dos lucros de uma empresa através de parcelas.

Essas parcelas podem ter diferentes formas, como em dinheiro, ações ou mesmo em propriedade, ainda que seja mais raro.

É importante destacar que as parcelas de dividendos são distribuídas de acordo com o volume de cada acionista.

Justamente por isso, alguns investidores vivem através dos lucros de dividendos. Já que eles têm um volume maior.

Vale destacar ainda que os dividendos são sempre tributados para a empresa e então, como resultado, os acionistas estão isentos de taxas.

O que são juros sobre capital próprio?

Os juros sobre capital próprio é uma maneira que as empresas encontram de remunerar os participantes/acionistas.

Ou seja, funciona de maneira semelhante aos dividendos, sempre dado em forma de dinheiro.

Entretanto, pode ser contabilizado de diferentes maneiras pela empresa.

Assim, quando realizado antes do lucro líquido, a empresa considera os juros como uma despesa e, como resultado, a empresa tem um imposto menor.

Por outro lado, os juros sobre capital próprio possuem uma taxa de imposto de renda de 15% assim que são depositados na conta do acionista.

Geralmente, esses juros são mais frequentes e possuem um valor maior que o dividendo, o que pode igualar com a questão dos juros.

Geralmente, as empresas fazem esse tipo de pagamento como um meio de reduzirem as taxas cobradas a elas.

Diferença de dividendos e juros sobre capital próprio 

Depois de entender um pouco melhor o que são dividendos e juros sobre capital próprio, surge a dúvida de qual a diferença básica, principalmente para você, como investidor e acionista.

Portanto, o que você precisa saber se refere aos juros cobrados sobre esse valor.

Primeiramente, o dividendo é um pagamento sobre o lucro líquido da empresa, onde a empresa já pagou os impostos.

Dividendos e juros sobre capital próprio: o que são e suas diferenças

Como resultado, quando a remuneração é transmitida para você, não existe nenhuma taxa que precisa ser paga por parte dos acionistas.

Entretanto, no caso dos juros sobre o capital, existe a taxa do imposto de renda sempre que o dinheiro é depositado na sua conta.

Dessa maneira, parte do valor recebido será direcionado para o Governo assim que depositado.

Como o brasileiro sabe que nada acontece “de graça”, vem a dúvida do porque as empresas dividem esses lucros com os acionistas.

A realidade é que no Brasil, todas as empresas são obrigadas a fazer esse pagamento, coisa que nos Estados Unidos, por exemplo, não é obrigatório.

Dessa maneira, sempre que você é acionista de um negócio de capital aberto, tem direito a uma parcela do lucro líquido.

Porém, esses pagamentos podem acontecer todos os meses, a cada três meses, semestral ou mesmo anualmente

Logo, depende do estatuto que a empresa possui e segue.

Levando em conta a questão de juros sobre capital próprio imposto de renda, muitos acionistas acreditam que o dividendo seria a melhor opção.

Entretanto, em questão de valor total, o interessante não é pensar apenas nos juros sobre o pagamento da empresa, mas sim na periodicidade.

Já que as empresas costumam pagar os juros de maneira mensal ou trimestral, enquanto o dividendo costuma ser anual. 

Importante 

As empresas podem optar por uma ou outra modalidade de pagamento ou mesmo pelas duas formas de distribuição de lucros. 

Nesses casos, é importante ver o formato de funcionamento antes de se tornar um acionista. 

Além disso, empresas que sofrem mais com as chamadas “temporadas”, devem ser estudadas por um ano inteiro, antes de você começar a investir nela. 

Isso porque, esses negócios, possuem altos e baixos, como as empresas de turismo, lucrando mais em alguns períodos que outros. 

Dividendos e juros sobre capital próprio – Qual opção escolher? 

Caso você esteja pensando em se tornar um acionista de uma empresa, o ideal é tomar algum tempo para pesquisa.

Assim, veja qual foi o método que a empresa escolheu bem como qual foi o lucro distribuído.

Portanto, você será capaz de fazer a melhor escolha para o seu bolso e futuro.

Enfim, uma dica é pensar exatamente no que você quer fazer com esse tipo de investimento.

Por exemplo, quem está acumulando, focando em comprar mais ações, os dividendos podem ser a melhor alternativa.

Entretanto, para acionistas que possuem um patrimônio formado, pode ser que os juros sobre capital próprio fiscal seja a melhor opção.

Afinal, são valores mais recorrentes, que podem ajudar no pagamento de contas ou mesmo para a realização de sonhos e luxos.

De qualquer maneira, é preciso analisar como você quer formar uma carteira de ações segura, o que está mais volátil no mercado, como funciona a gestão das empresas e até qual o prazo de interesse para esse tipo de lucros.

Viver de renda é possível, mas exige paciência e foco não apenas para estudar e escolher a melhor opção, mas também para saber o que fazer ao receber o dinheiro.

Afinal, muitos acionistas acabam gastando o que recebem em pouquíssimo tempo, ficando com a sensação de que estão ganhando pouco.

Dividendos e juros sobre capital próprio – Qual opção escolher?

Daí a importância de definir um plano para o dividendos e juros sobre capital próprio, seja a curto ou a longo prazo.

No fim, a decisão acaba sendo da empresa. Apesar de ela seguir um estatuto, nada garante que ela não mudará isso. Por isso, faça pesquisas, mas não aposte todas as suas fichas nesse padrão, ok?

Afinal, com as duas opções, a empresa decide o que é melhor para ela e segue o caminho do dividendo ou do juros sobre capital próprio.

Conclusão

Por fim, os dividendos vêm como uma opção de remuneração para o acionista que costuma acontecer menos vezes ao ano, mas com um valor sobre o lucro líquido sem nenhuma taxação.

Por outro lado, os juros sobre capital próprio costumam ser pago mais vezes ao ano, mas tem a incidência do imposto de renda sobre ele.

Depois de ler todo esse conteúdo, você ainda ficou com alguma dúvida? 

Comenta aqui embaixo ou aproveite para compartilhar a sua experiência com todos.

Grande abraço e até o próximo post!

Junte-se ao grupo VIP Informe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos com prioridade
100% livre de spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!