O Ibovespa é principal índice da bolsa de valores brasileira. Ele é importante para mostrar como nossa bolsa está performando e qual é o seu histórico, mas ele não está sempre certo.

Assim como todos os índices, o Ibovespa usa alguns critérios para definir a tendência geral da nossa bolsa de valores. Quando o índice sobe quer dizer que, em geral, a bolsa subiu; quando caí quer dizer que a bolsa, em geral, caiu.

Ele, porém, não é absoluto. Então, mesmo quando sobe, por exemplo, podem existir ações que caíram; e vice-versa. Vou te explicar tudo isso, fique comigo neste artigo que você vai entender tudo!

O que é o Ibovespa?

O Ibovespa é o Índice Bovespa (que é o antigo nome da bolsa de valores de São Paulo) que é um indicador de desempenho da bolsa de valores brasileira. A sua ideia é mostrar o comportamento médio do mercado, através das suas principais ações.

Ibovespa: o índice mais importante da bolsa brasileira

Então, se o Ibovespa sobe em um determinado período quer dizer que, em média, as principais ações também subiram. Se o índice diminui, então, em média, as principais ações também caíram.

Você deve ter percebido que usei muito o “em média“, certo? Isso porque o índice não consegue ser 100% eficaz, então mesmo que o Ibovespa vá para uma direção podem existir (e geralmente existem) ações que vão para a direção contrária.

Tudo isso por conta da forma que o índice é calculado. Entenda, não há nada de errado com o seu cálculo, a forma que é feito é a melhor que se encontrou e a mais eficiente. Mesmo assim, ele não funciona em todos os casos.

Mas você deve estar curioso em saber como o Ibovespa é calculado, certo? É através da sua carteira teórica.

Carteira teórica do Ibovespa

Para o índice ser calculado, as principais ações da bolsa são organizadas e ponderadas de acordo com a sua “importância”. Elas também são revisadas constantemente. Essa organização é chamada de carteira teórica.

Aproximadamente 60 ações fazem parte da carteira teórica. E alguns critérios são usados para selecionar e organizar essa carteira, mas dois são os principais:

  • Liquidez
  • Volume negociado

As ações mais negociadas são selecionadas para a carteira teórica. Essas ações são classificadas em ordem de mais negociadas para as menos negociadas; as mais negociadas têm peso maior na carteira teórica e as menos negociadas têm peso menor.

Também existem critérios para que uma ação não faça parte do Ibovespa. Empresas em recuperação judicial ou que são penny stock (empresas negociadas a um valor baixo), por exemplo, não podem fazer parte do índice.

Exemplo prático

Vamos supor que o Ibovespa é composto por três papéis: A, B e C. O papel A possui 100 quantidades, o B possui 50 e o C possui 10. Se em um determinado momento o papel A custar R$ 10,00, o B custar R$ 50,00 e o C custar R$ 30,00 teremos o seguinte cenário:

  • A: R$ 10,00 * 100 = R$ 1.000,00
  • B: R$ 50,00 * 50 = R$ 2.500,00
  • C: R$ 30,00 * 10 = R$ 300,00

Somando temos R$ 3.800,00. No Ibovespa, porém, não dizemos que ele vale 3.800 reais, e sim que está nos 3.800 pontos. Cada variação de 1 real faz o índice variar 1 ponto.

Carteira teórica do Ibovespa

Agora, neste mesmo exemplo, se acontecer uma movimentação muito grande no mercado e a ação B subir para R$ 58,00, a ação A cair para R$ 8,00 e a ação C manter-se estável acontece o seguinte cenário:

  • A: R$ 8,00 * 100 = R$ 800,00
  • B: R$ 58,00 * 50 = R$ 2.900,00
  • C: R$ 30,00 * 10 = R$ 300,00

Então o Ibovespa chega aos 4.000 pontos, ou seja, uma valorização de 5,2%. A ação A, entretanto, teve uma queda de 20%. Nesse caso é comum escutar nos noticiários que o Ibovespa subiu 5,2% sendo puxado pela ação B.

Entendeu porque eu disse que o Ibovespa não condiz sempre com a realidade de todas as ações?

É verdade que o mercado é um só, então é comum uma ação puxar outras; mas pode acontecer algo em um mercado muito específico que não influencie os demais.

Justamente por esse comportamento da bolsa em relação ao mercado como um todo é que o índice funciona. Em geral, ele vai mostrar uma análise assertiva para a maioria das ações.

Revisão

A cada 4 meses a carteira teórica do Ibovespa é revista. Tanto as ações como os seus pesos são revisitados e a carteira é rebalanceada.

Isso acontece porque o mercado é dinâmico e empresas ganham e perdem relevância. E o índice deve manter-se atualizado para refletir da melhor maneira a realidade da nossa bolsa.

A composição da carteira teórica do Ibovespa é publica, você pode verificá-la atualizada direto no site da B3.

Como investir no Ibovespa?

O Ibovespa é um índice então não dá para investir nele certo? Errado! Existem formas de se fazer isso.

A primeira forma mais simples de investir no Ibovespa é comprando as ações que compõem o índice, na proporção de cada uma. Apesar de ser possível, essa forma não é muito simples. Afinal, você precisa comprar várias ações e balanceá-las a cada revisão do índice.

Ibovespa: o índice mais importante da bolsa brasileira

Além disso, fazer esse gerenciamento é bem complicado. Se você quiser fazer um aporte, terá que distribuir o valor nas ações do índice. Outro ponto negativo é que você precisará de uma quantidade razoável de dinheiro para conseguir fazer a distribuição correta (sem contar com o valor de corretagem e outras taxas).

Seria bem mais fácil comprar um único ativo que refletisse o valor do Ibovespa, né? Sim, e ele existe!

Isso é o chamado ETF (Exchange-Traded Fund), que nada mais é que um fundo de investimento negociado na bolsa de valores. E existe um ETF que replica o comportamento do Ibovespa, o BOVA11.

A ideia aqui é que quando o Ibovespa subir, o BOVA11 também suba em mesma proporção e vice-versa. Por exemplo, no momento que estou escrevendo este artigo o Ibovespa está nos 104.151,55 pontos; já o BOVA11 está valendo R$ 100,23.

Nem sempre o BOVA11 irá replicar com total fidelidade o movimento do Ibovespa, mas será sempre algo próximo. A melhor parte é que você pode comprar o BOVA11 como se fosse uma única ação, então você tem apenas um ativo que replica o comportamento de todas as ações do Ibovespa.

É bem mais fácil, rápido e prático comprar o ETF do que comprar todas as ações do índice né?

Histórico e os 100 mil pontos do Ibovespa

Quando vemos o histórico do Ibovespa, ele nos passa uma ideia geral de como foi a performance da nossa bolsa ao longo do tempo.

Em 2016, por exemplo, o índice estava na casa dos 38 mil pontos. Foi justamente essa época que o mercado brasileiro estava com grandes dificuldades e uma recessão bem intensa.

Desde então a economia melhorou, e isso foi refletido no Ibovespa também. Até a marca histórica dos 100 mil pontos.

Essa marca era muito esperada pelo mercado justamente pelo seu significado “afetivo” das ações que compõe o índice valerem R$ 100 mil. Na prática, essa marca não significa nada diferente de qualquer outro recorde que a índice já passou ou passará.

O Ibovespa alcançou os 100 mil pontos pela primeira vez em 19 de junho de 2019, indo até a marca dos 118 mil pontos. A partir daí com toda a crise causada pelo Covid-19, assim como todo o mercado global, a nossa bolsa despencou chegando aos 66 mil pontos. Quase 45% de queda em poucos meses.

Histórico do Ibovespa

Desde então a recuperação apresentou sinais de melhora e o Ibovespa voltou aos 100 mil pontos, acompanhando o mercado em todo o mundo.

Outros índices

O Ibovespa é o principal índice da nossa bolsa, mas não é o único. Existem diversos outros índices, cada um com o seu objetivo.

O Índice de Fundos de Investimentos Imobiliários (IFIX), por exemplo, é o índice dos Fundos de Investimento Imobiliários (FIIs). Ele tem a mesma ideia do Ibovespa, mas é composto por FIIs ao invés de ações.

Cada bolsa de valores também tem os seus índices. A bolsa norte-americana de Nova York (NYSE), tem o S&P 500, que é composto pelas 500 maiores ações negociadas.

Aqui podemos ver uma grande diferença, enquanto o Ibovespa tem, em média, 60 ações, o S&P 500 tem 500 ações. Isso, em parte, acontece pela diferença de maturidade do mercado em cada um dos países. Os Estados Unidos tem uma tradição muito maior na renda variável do que o Brasil, então é algo meio natural.

Outros índices

Também existem índices que medem coisas diferentes, o VIX, por exemplo, é chamado de índice do medo. Ele mede a confiança do investidor e eu já criei um artigo sobre o VIX onde explico tudo que você precisa saber.

Conclusão

O Ibovespa é o índice mais importante da bolsa de valores de São Paulo e a sua ideia é mostrar de forma rápida e direta como está o desempenho da nossa bolsa em relação ao tempo.

Apesar de não ser perfeita e não refletir com 100% de precisão a situação de todas as ações da bolsa, o índice funciona muito bem e é amplamente utilizado pelo mercado.

Você costuma conferir o Ibovespa frequentemente? Quais são as informações que você busca nele? Deixa aí nos comentários que vou ler todos.

Junte-se ao grupo VIP Informe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos com prioridade
100% livre de spam

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!